Parceria aproxima Embrapa e LFDA de empresas e cooperativas lácteas no Sul do Brasil

14-09-2021 11:04:40 Por: Embrapa Clima Temperado. Foto: Maira Zanela.

Parceria aproxima Embrapa e LFDA de empresas e cooperativas lácteas no Sul do Brasil
Empresas e cooperativas do segmento lácteo firmam parceria para promover a segurança do leite e derivados no Sul do Brasil. Em ato celebrativo, a Embrapa e o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LFDA), vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento reuniram parceiros para assinatura de documento, durante a 44ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer), o qual sela o compromisso de realização de atividades planejadas no Programa Leite Seguro, um projeto de garantia de produção de alimento saudável e de proteção à saúde do consumidor de lácteos.

Nesta parceria serão realizadas ações de pesquisa, desenvolvimento e transferência de tecnologias com foco na adoção de Boas Práticas Agropecuárias e Boas Práticas de Fabricação na cadeia leiteira para atender o Programa Leite Seguro: Segurança, Qualidade e Integridade de Leite e Produtos Lácteos Sul-Brasileiros para Alimentação Saudável e Proteção ao Consumidor.

“A proposta desta parceria prevê a soma de esforços para lotação de um bolsista custeado pelo Projeto para acompanhamento dos produtores de leite; a realização de ações conjuntas para capacitação de produtores e multiplicadores, bem como, para coleta de dados que serão de grande importância para o atingimento das metas previstas no programa Leite Seguro”, explica uma das pesquisadoras integrantes do Programa, Maira Zanela. A primeira capacitação do programa é o E-curso de Biosseguridade que foi disponibilizado na plataforma Ecampo para os técnicos das instituições parceiras.

Segundo Rogério Dereti, analista de transferência de tecnologias e também integrante do Programa, as parcerias estabelecidas são fundamentais para a execução dos eixos estratégicos do projeto, que de forma inovadora integram ações de pesquisa e transferência de tecnologia envolvendo desde os produtores até os consumidores, incluindo laticínios, indústrias e o segmento de comercialização. “Trabalhamos com os produtores na maioria dos nossos projetos, mas desta vez, nossas ações de pesquisa e transferência de tecnologia estão distribuídas por todo o caminho do leite desde a fazenda até a mesa do consumidor. As parcerias permitem fazermos pesquisas de campo e estimularmos produtores a inovar e sem elas não teríamos como prosseguir com a nossa proposta de trabalho”, explica. O Programa vai agregar os consumidores a esse processo, para melhorar a compreensão sobre a produção do leite e seus derivados e como se realiza o consumo consciente.


Os atuais parceiros do Programa são: Coopar/Pomerano (São Lourenço do Sul/RS), Cooperativa A1 (Palmitos/SC), Cooperforte (Santana do Livramento/RS), Cooperlate (Serafina Corrêa/RS), Cotrifred (Frederico Westphalen/RS), He Laticínios (Coronel Vívida/PR), Laticínios do Sul (Imigrante/RS), Laticínios Tirol (Treze Tílias/SC), Leite da Fazenda (São Lourenço/RS), Laticínio Stefanello (Frederico Westphalen/RS) e Sul Leite (Santa Vitória do Palmar/RS).

A assinatura da parceria - O ato foi firmado em documento oficial assinado pelos parceiros durante cerimônia de lançamento de tecnologias, produtos e parcerias da Embrapa na Expointer 2021, em estande no Pavilhão Internacional, no dia 6 de setembro.

“O Programa Leite Seguro é um dos maiores projetos da história do leite no Brasil e através deste projeto a Embrapa cumpre sua missão de se aproximar junto ao Mapa da cadeia produtiva do leite”, disse o chefe-geral, Roberto Pedroso de Oliveira, da unidade da Embrapa Clima Temperado, em Pelotas/RS.


O coordenador do LFDA/RS, Fabiano Barreto, disse que o Laboratório fará sua colaboração com foco no controle de qualidade e no desenvolvimento de tecnologias. “Este Projeto capta recursos para fomentar e integrar as tecnologias e soluções técnicas para melhorar toda a cadeia leiteira do Sul do Brasil. Esperamos que o Leite Seguro agregue valor para cada um dos parceiros que deposita hoje sua confiança e seu trabalho conjunto nesta parceria”, falou.

O documento foi assinado pelo chefe-geral da Embrapa Clima Temperado, Roberto Pedroso de Oliveira, o coordenador do LFDA/RS, Fabiano Barreto, e pelas empresas e cooperativas parceiras, a diretora comercial da Sul Leite, Dulce Bueno, e os sócios da Laticínios do Sul, Daniel Hollmann e Alessandra Hollmann. A cerimônia contou com a presença da superintendente do Mapa/RS, Helena Pan Rugeri, e do assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar, Jaime Ries.

Programa Leite Seguro - O programa foi lançado oficialmente na Expointer 2019, tendo como uma das frentes do projeto, o desenvolvimento de ferramentas e diagnósticos que melhorem a gestão dentro das propriedades leiteiras. O projeto tem cinco eixos estratégicos que tratam sobre: Eixo 1 - Sistema de Qualidade, Segurança & Integridade da Cadeia Produtiva de Leite e Derivados, Eixo 2 - Sistema Analítico-Laboratorial para Leite e Derivados, Eixo 3 - Programas de Fomento em Boas Práticas Agropecuárias e de Fabricação na Cadeia Produtiva de Leite e Derivados, Eixo 4 - Ampliação do Sistema de Monitoramento Espacial-Temporal da Qualidade do Leite e Desenvolvimento do Sistema de Gerenciamento e Alerta de Crises e Emergências em Lácteos, Eixo 5 - Consumidor: Educação para o consumo de Lácteos Seguros e Alimentação Saudável.


O Projeto obteve financiamento de R$ 30,5 milhões, por meio de edital do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD) do Ministério da Justiça e Segurança Pública e atuará em diferentes linhas. Com o enfrentamento a pandemia do Covid-19, o projeto terá uma duração de três anos e estão previstos ainda esse ano: capacitação de técnicos parceiros, técnicos do MAPA e produtores nas práticas de biosseguridade para a atividade leiteira; realização do Dia de Campo de Leite, no formato virtual e presencial, contratação e treinamento dos bolsistas; início das visitas nas propriedades, instalação dos equipamentos e realização dos experimentos de resíduos e contaminantes na Embrapa Clima Temperado, além do início do desenvolvimento de sistemas de tecnologia da informação e ações de divulgação para os consumidores.

As informações são da Embrapa Clima Temperado. Foto: Maira Zanela.